MULHER DESAPARECIDA É ENCONTRADA MORTA NA GRUTA
10/04/2017 19:06 em Novidades

Foi encontrado na tarde deste sábado (08), nas proximidades do local conhecido como Gruta, o corpo de Eva Donizete dos Santos, de 51 anos, que estava desaparecida há cerca de uma semana. O cadáver já estava em avançado estado de decomposição e foi resgatado pela equipe da 2ª Cia de Bombeiros Militares de Passos. Segundo a PM de Alpinópolis ainda não foi possível identificar a causa da morte, sendo que alguns indícios levam a crer que a vítima cometeu suicídio, porém não estão descartadas as hipóteses de acidente e até mesmo a ocorrência de um homicídio.

A vítima estava desaparecida desde o dia 1º de abril, quando foi vista pela última vez, pelo marido e o cunhado, por volta das 12h. Desde então a família e os amigos procuravam pelo paradeiro de mulher que, segundo relatos, não tinha o costume de se ausentar por longo tempo sem avisar. Na tarde deste sábado, no entanto, uma investigadora da Polícia Civil de Alpinópolis recebeu uma ligação telefônica das irmãs de Eva, dizendo que estavam em uma casa no bairro Poço das Andorinhas, vizinha à dela, e precisavam de ajuda, pois estavam sendo impedidas de entrar na residência pelo referido cunhado. A detetive se dirigiu ao local onde os familiares lhe relataram uma possível localização do corpo.

Depois de travar breve diálogo com o cunhado de Eva, que informou ter notado que o mato nos fundos da casa estaria estranhamente amassado, a investigadora acionou o 3º Pelotão da PM que compareceu ao endereço. Diante das informações, e verificando que o local era de difícil acesso, os militares acionaram o Corpo de Bombeiros de Passos que, por volta das 16h, chegou ao local e imediatamente deu início às buscas. O trabalho começou pelos fundos da casa da vítima, em um trilho de aproximadamente 80m que dava acesso a um barranco com cerca de 15m de altura.  Após verificarem se tratar de um paredão, com o terreno muito íngreme e mato alto, os bombeiros julgaram necessário estabelecer uma rota de rapel para dar sequencia à operação. Dessa forma a rota foi armada permitindo aos homens descerem e vasculharem toda a área, oportunidade em que encontraram o cadáver, já em adiantado estado de putrefação, em cima de uma pedra no leito de um córrego.

A perícia técnica foi chamada e, ao examinar o corpo, pôde ser constatado que este estava na posição de decúbito dorsal e apresentando uma lesão no crânio (na parte frontal direita), uma fratura na parte occipital e uma fratura na canela esquerda.

Em depoimento, o esposo e o cunhado de Eva declararam que ela teria sido vista pela última vez, por volta do meio-dia, na data de 1º de abril, portanto há mais de uma semana. Testemunhas afirmam que, após o desaparecimento, os dois irmãos dispensavam a ajuda de amigos e vizinhos que se disponibilizavam para ajudar a procurar por ela em uma mata que faz fundo com a residência, inclusive impedindo a entrada de qualquer um na propriedade.

Posteriormente o corpo foi liberado para ser recolhido pelos profissionais da Funerária São Vicente, sendo então encaminhado até ao Posto de Perícias Integradas na cidade de Passos. Segundo o laudo pericial não foi possível, até o momento, determinar com exatidão a causa da morte de Eva.

COMENTÁRIOS